TREVL

TREVL 26

4,50

Viajar a dois com a nossa cara-metade pode ser uma experiência fantástica de partilha de emoções – e um grande desafio para a própria relação, pois nem sempre as coisas correm pelo melhor…

Na maioria dos casos, estes momentos de partilha ocorrem com o homem a conduzir e a mulher sentada atrás na moto (de momento, não me recordo aqui de uma viagem com estas posições invertidas). O que, diga-se, é perfeitamente válido e, geralmente, são máquinas muito bem oleadas, com uma boa distribuição de tarefas e a garantia de que ambos se divertem. Os exemplos são muitos, como, para não ir mais além, podemos constatar nesta e nas edições recentes da TREVL. São os casos do Armando e da Paula, do Luís e da Catarina, do Miguel e da Mafalda ou da Patrícia e do João, entre muitos outros casais de viajantes.

Mas quando, em lugar de viajarem um atrás do outro, existe a possibilidade de partirem à descoberta lado a lado, cada um na sua moto, tenho a certeza (embora ainda não tenha acontecido comigo) que a viagem se eleva a um outro nível. Foi o que aconteceu com a Marisa e o Tiago na aventura que publicamos nesta edição, mas não só – e na próxima revista teremos também outro casal bem nosso conhecido a dar a sua contribuição, igualmente ‘cada um na sua’.

Juntos, mas independentes, ou autónomos, com vidas próprias que aqui se traduzem no veículo que os leva na viagem, sem haver condutor e conduzido. Para muitos, será este o segredo da coisa…